Coletânea de Poesias

Sentimentos e reflexões expressos em papel (e aqui publicados eletronicamente).

Textos


Testamento

Tempo, tempo, tempo, tempo...
O meu corpo te acompanha
O espírito decerto nem tanto
Mais lento por certo esperaria
Mais tempo...
Mas o tempo...
Tempo cruel, tempo cruel....

Tempo, tempo, tempo, tempo....
Tem me permitido viver tudo que sonhei
Muito mais do que pedi a Deus
O que Ele decerto concedeu
Impacientemente esperei
Tempo fiel, tempo fiel...

Muitas terras e caminhos caminhei
Muitos picos conquistei
Muitos endereços, sim
E paisagens registrei
Muitas vidas eu vivi, posso dizer
Muito tempo se passou...
Hoje pesam minhas pernas
Tempo cruel, tempo cruel....

Filho, esposo e pai... agora sou avô
Namorado, enamorado, desde que a conheci
Marido pelo tempo que Deus me permitir
Quisera eu, pela eternidade
Santo sim, tenho tentado merecer
Ao Deus que muito busco
A muitos O tenho levado
Tenho tentado, sigo tentando.

E quando o tempo certo chegar
Quero deixar ao mundo
Meus filhos, meus amores
E os amigos que de alguma forma
O coração e a alma eu tenha tocado
Um pedacinho deste mundo
Eu toquei, e mudei,
Ao menos fotografei.

Incendiado de amor eu já fui
Minhas cinzas já espalhei
Pelas terras por onde andei
Só escrevam de mim
Que lutei, e tentei
Todo o tempo.
Maurício Victor de Uzeda
Enviado por Maurício Victor de Uzeda em 05/02/2012
Alterado em 21/09/2015
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras